AS INCUBADORAS DE EMPRESAS COMO REDES EMPRESARIAIS PRÓ-INOVAÇÃO

Charbel J C Jabbour, Paulo Roberto Dias, Sergio Azevedo Fonseca

Resumo


O movimento brasileiro de incubadoras expandiu-se a partir da década de 90, firmando-se
em anos recentes. Entendidas como arranjos interinstitucionais, as incubadoras empresariais
são ambientes em que se articulam redes de empresas e de inovação, constituindo-se como
processo logístico pró-inovação, mantido por fluxos de informações que fomentam a geração de
inovações nas incubadas, as quais retroalimentam o sistema. Diante do volume de recursos
investidos, principalmente públicos, destaca-se a necessidade de instrumentos capazes de
avaliar o desempenho dessas organizações, não só em termos operacionais e socioeconômicos,
mas deve-se também mensurar a performance das incubadoras enquanto instrumentos difusores
e catalisadores do binômio informação-inovação. O artigo propõe um modelo de avaliação
e contribui com a literatura ainda escassa, além de apontar para conclusões sobre o papel
das incubadoras no fomento à inovação das incubadas.

Palavras-Chave: Redes de Empresas; Avaliação de Desempenho de Incubadoras
Empresariais; Arranjos Institucionais; Inovação em Empresas Incubadas

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15675/gepros.v0i1.22

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons

Está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

e-ISSN: 1984-2430
GEPROS. Gest. prod. oper. sist., Bauru, São Paulo-SP (Brasil).

Departamento de Engenharia de Produção da Faculdade de Engenharia da UNESP - Bauru

Av. Eng. Edmundo Carrijo Coube, n° 14-01 Fone: 55-14-3103-6122