Indústria 4.0: O Papel das Federações Empresariais

  • Rodrigo Zillig Klippel
  • Claudio Pitassi
Palavras-chave: Sistema Nacional de Inovação, Estratégias Operacionais, Indústria 4.0, Política Tecnológica, Representação Empresarial.

Resumo

A adoção das tecnologias digitais que fizeram emergir a 4ª Revolução Industrial tornou-se crítica no ambiente de negócios da economia pós-industrial, trazendo para economias emergentes pressões ainda maiores no processo de globalização de suas empresas. O objetivo principal deste artigo foi entender como, na percepção dos empresários, a estratégia do Sistema FIRJAN pode colaborar para o desenvolvimento de políticas de estímulo à inovação e à inserção das empresas fluminenses na Indústria 4.0. O estudo adota uma abordagem qualitativa com finalidade exploratória, as evidências coletadas foram tratadas por um processo de codificação auxiliado pelo software ATLAS.ti. Os resultados obtidos indicaram que embora a rede de institutos de inovação contribuísse para a inovação localizada, ficou evidente a falta de políticas orientadas para inovação que promovam a real transformação da indústria fluminense. As narrativas obtidas indicam que grande parte dos empresários considera as tecnologias digitais ou virtuais um luxo dispensável. Esta resistência fortalece a percepção de que a indústria 4.0 é considerada uma realidade muito distante.  De modo a superar uma visão míope e autocentrada de segredo industrial, a FIRJAN, deve criar um senso de urgência nos empresários e estimular, ainda que indiretamente, a troca de conhecimentos tecnológicos entre as empresas do estado.

Biografia do Autor

Claudio Pitassi

Publicado
2019-07-01
Como Citar
Klippel, R. Z., & Pitassi, C. (2019). Indústria 4.0: O Papel das Federações Empresariais. Revista Gestão Da Produção Operações E Sistemas, 14(3), 73. https://doi.org/10.15675/gepros.v14i3.2605