Análise do desempenho da rentabilidade e do efeito estado em indústrias de base por meio da regressão multinível

Roberto Giro Moori, Renata Akemi Moori, Tatiana Mayumi Moori, Leonardo Daigo Nakatani

Resumo



O objetivo deste estudo foi o de analisar a influência de hierarquia dada pelas unidades federativas (ou estado
como entidade política) e setores industriais no desempenho da rentabilidade das empresas de base. Para tanto,
utilizou-se uma amostra de 543 empresas, distribuídas em 11 setores industriais e localizadas em 24 Estados
brasileiros. Submetidos ao modelo de regressão multinível com três níveis hierárquicos para detectar a variabilidade
de estimativas entre os grupos pesquisados, a amostra dos dados coletados, em nível de significância estatística
(a = 0,05), evidenciou que o setor industrial não explica o desempenho da rentabilidade das empresas.
Com relação ao efeito estado como entidade política, de forma geral, as taxas de rentabilidades foram positivas
e significantes na grande região centro-sul. Diante desses resultados, pode-se concluir que existe evidência de
que as políticas públicas voltadas para a indústria de base ainda continua sendo um instrumento importante e
necessário para deslocar o desenvolvimento para outras unidades federativas do Brasil, evitando assim, o desequilíbrio
regional ou a sua fragmentação em face à competição entre as grandes regiões.

Palavras-chave: Rentabilidade, regressão multinível, Indústria de base.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15675/gepros.v4i4.509

Licença Creative Commons
Revista GEPROS - Gestão da Produção, Operações e Sistemas

http://revista.feb.unesp.br/index.php/gepros está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

Locations of visitors to this page