Ergonomia como fator econômico no pensamento Enxuto: uma análise crítica bibliográfica

Leonardo Ferreira, Giovana Pimentel Gurgueira

Resumo


Este trabalho teve como objetivo realizar uma análise crítica sobre a Ergonomia como fator eco-nômico no pensamento Enxuto através de uma revisão da produção de artigos científicos da área.  disponibilizados em bases de dados eletrônicas.  Foram encontradas 45 referências nas bases de dados pesquisadas, das quais foram selecionados oito artigos. Os demais foram excluídos porque abordavam a ergonomia e o pensamento Enxuto em áreas diferentes das propostas no presente es-tudo. Para a análise dos dados, os artigos selecionados foram considerados quanto ao seu conteúdo, sendo então extraídas informações específicas de cada trabalho. Os dados indicaram que todos os artigos eram recentes, pois foram publicados entre 2004 e 2008. Em relação ao tipo de estudo, seis eram Estudos de Caso e dois eram de Levantamento Bibliográfico. O estudo demonstrou que a Ergonomia vem garantindo melhores condições de saúde, segurança, relações interpessoais e cooperação contribuindo com o sucesso técnico, econômico e financeiro das novas organizações e tecnologias. As condições de trabalho podem melhorar em função da Produção Enxuta, tornando o processo de trabalho menos rígido e mais independente, demonstrando que pensamento Enxuto e Ergonomia não estão necessariamente em conflito.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15675/gepros.v9i3.560

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons

Está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

e-ISSN: 1984-2430
GEPROS. Gest. prod. oper. sist., Bauru, São Paulo-SP (Brasil).

Departamento de Engenharia de Produção da Faculdade de Engenharia da UNESP - Bauru

Av. Eng. Edmundo Carrijo Coube, n° 14-01 Fone: 55-14-3103-6122