Psicologia do processo de decisão numa crise organizacional

Héctor Rafael Lisondo

Resumo


O artigo analisa a interação dos fatores psicológicos, técnicos e administrativos que intervêm na dinâmica do
processo de decisão, numa média empresa brasileira de comércio e distribuição de produtos, num momento de
crise. A realidade sistêmica, onde as relações entre causas e efeitos não são evidentes e podem estar distantes
no tempo e no espaço, pode induzir na direção um estado emocional adverso ao porvir da organização.
Um diagnóstico foi produzido através do processo de pesquisa participante que resultou também, numa ajuda
técnica e psicológica. Este processo ofereceu aos dirigentes uma oportunidade para trazer para a consciência e
verbalizar os sentimentos e emoções resultantes da crise, que quando represados, afetam o processo de pensar.
Também sinalizou a presença no contexto cotidiano de fatores adversos ao critério de realidade (e as possíveis
conseqüências da sua influência no processo de decisão). Por fim, ajudou a identificar e construir um elenco
de alternativas favoráveis à eficácia das decisões, para retomar o desenvolvimento da organização.
A direção pode, assim, entender a nova realidade - como um descobrimento - que possibilitou mudar uma
tendência ao declínio, evitar a possível dissolução da organização e reassumir a sua evolução.

Palavras-chave: Processo de decisão; Liderança; Mudanças e Resistências.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15675/gepros.v0i2.95

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



Licença Creative Commons

Está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

e-ISSN: 1984-2430
GEPROS. Gest. prod. oper. sist., Bauru, São Paulo-SP (Brasil).

Departamento de Engenharia de Produção da Faculdade de Engenharia da UNESP - Bauru

Av. Eng. Edmundo Carrijo Coube, n° 14-01 Fone: 55-14-3103-6122