Modelagem matemática na gestão ambiental fluvial: simulação dos impactos no sistema receptor de efluentes, para orientar operação de tratamento de esgoto, sujeito a variações meteorológicas transitórias

André Luiz de Lima Reda

Resumo


Demonstra-se técnica de modelagem matemática de qualidade de águas fluviais, sujeitas a impactos transitórios,
de esgoto descarregado após tormentas, desenvolvida para “sistemas unitários” (esgoto em conjunto com
drenagem pluvial, em países frios de desenvolvimento antigo – Hemisfério Norte), útil para nortear, em tempo
real, decisões na operação do tratamento desse esgoto. Integrando linha de pesquisa internacional, esta técnica
também poderá servir, com ferramentas de otimização, em planejamento e gestão em tempo-real de sistemas
fluviais com perturbações transitórias por motivos diversos. Originalmente, não se aplicaria ao Brasil: no fim do
século XIX firmou-se no País bem intencionada preferência por coletar esgoto numa rede pública separada da
drenagem – esta, sujeita a enxurradas tropicais. Porém, apesar de tal filosofia ainda predominar em projetos, o
envelhecimento dos dois sistemas e irregularidades continuamente introduzidas em instalações prediais e públicas
têm promovido crescente promiscuidade entre ambos (exemplos: ligações clandestinas, vazamentos subterrâneos)
e elevado as vazões conduzidas após tormentas a estações de tratamento a ponto de superarem muito suas
capacidades. Assim, a técnica de simulação proposta enseja-se útil na realidade brasileira. Seu emprego é
demonstrado num caso realista, com um ranking das alternativas de operação do tratamento baseado em
simulações da qualidade fluvial resultante – portanto, visando objetivo ambiental.

Palavras-chave: Simulação matemática da qualidade da água fluvial; Impactos de esgoto em rio; Gestão
ambiental de sistema hídrico.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15675/gepros.v0i2.97

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



Licença Creative Commons

Está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

e-ISSN: 1984-2430
GEPROS. Gest. prod. oper. sist., Bauru, São Paulo-SP (Brasil).

Departamento de Engenharia de Produção da Faculdade de Engenharia da UNESP - Bauru

Av. Eng. Edmundo Carrijo Coube, n° 14-01 Fone: 55-14-3103-6122