Modelo de maturidade de redes de empresas: teste de aplicabilidade em uma rede de empresas do segmento cervejeiro de Santa Catarina

Charles Ristow, Thais Guerra Braga, Nelson Casarotto Filho

Resumo


Braga (2019), por meio do estudo de caso com uma rede de empresas do segmento cervejeiro do estado de Santa Catarina, Brasil. O modelo mapeia a maturidade de redes de empresas em 15 dimensões qualitativas que são descritas em cinco níveis de maturidade e, ao ser aplicado como instrumento de pesquisa, gera como resultado o escore numérico correspondente ao nível de maturidade da rede estudada. Como resultado, foi obtido o nível de maturidade da rede estudada, que, apesar de positivo, pode ser melhorado pelo estabelecimento de estratégias coletivas baseadas no panorama oferecido pelo modelo de características a serem conquistadas em maiores níveis de maturidade. Como resultado teórico, foi possível atestar a validade do modelo como instrumento de pesquisa e, ainda, constatar pontos fracos do modelo que surgem como limitações do mesmo.


Palavras-chave


redes de empresas; modelo de maturidade; cervejaria artesanal;

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAHAMSEN, M.H.; HENNEBERG, S.C.; NAUDÉ, P. Using actors' perceptions of network roles and positions to understand network dynamics. Industrial Marketing Management, v. 41, n. 2, p. 259-269, 2012.

AGOSTINI, L.; FILIPPINI, R.; NOSELLA, A. Management and performance of strategic multipartner SME networks. International Journal of Production Economics, v. 169, p. 376-390, 2015.

AMATO NETO, João. Redes dinâmicas de cooperação e organizações virtuais. In: _______. (Org.). Redes entre organizações: domínio do conhecimento e da eficácia operacional. São Paulo: Atlas, 2005.

ASSENS, C. (2003). Le réseau d’entreprises: vers une synthèse des connaissances. Management international, v. 7,n.4, p.49-59, 2003.

BRAGA, T.G. Um modelo de maturidade de redes de empresas. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2019.

BREITENBACH, R.; BENCKE, F.F.; BREITENBACH, I.M.S. A influência do compromisso e da confiança para a efetividade de um arranjo produtivo local: um estudo do arranjo produtivo local de hortifrutigranjeiros de Veranópolis-RS. Revista GEPROS, v. 10, n. 2, p. 65, 2015.

CASAROTTO FILHO N.; PIRES, L. H. Redes de pequenas e médias empresas e desenvolvimento local: estratégias para a conquista da competitividade global com base na experiência italiana. São Paulo: Atlas, 2001.

CASTRO, M.; BULGACOV, S.; HOFFMANN, V.E. Relacionamentos interorganizacionais e resultados: estudo em uma rede de cooperação horizontal da região central do Paraná. RAC-Revista de Administração Contemporânea, v. 15, n. 1, 2011.

CAUCHICK MIGUEL, P. A. Metodologia de pesquisa em engenharia de produção e gestão de operações. Elsevier, 2012.

CMMI Product Team. CMMI for Development, version 1.2. 2006.

EASTERBY‐SMITH, M.; LYLES, M.A.; TSANG, E.W.K. Inter‐organizational knowledge transfer: Current themes and future prospects. Journal of management studies, v. 45, n. 4, p. 677-690, 2008.

EISENHARDT, K. M. Building theories from case study research. Academy of management review, v. 14, n. 4, p. 532-550, 1998.

FAMPESC. Grupo de Trabalho de Turismo Cervejeiro. Disponível em: Acesso em: 23 nov 2018.

FOLHA. Catharina Sour. São Paulo, 2018. Disponível em: Acesso em: 23 nov 2018.

GHISI, F.A; MARTINELLI, D.P. Systemic view of interorganisational relationships: An analysis of business networks. Systemic Practice and Action Research, v. 19, n. 5, p. 461-473, 2006.

HUGGINS, R.; THOMPSON, P. Entrepreneurship, innovation and regional growth: a network theory. Small Business Economics, v. 45, n. 1, p. 103-128, 2015.

JENA, P.R.; GROTE, U. Changing institutions to protect regional heritage: a case for geographical indications in the Indian agrifood sector. Development Policy Review, v. 28, n. 2, p. 217-236, 2010.

KLEIN, L.L; PEREIRA, B.A.D. Análise da relação de dependência empresa–rede na evolução de redes interorganizacionais. Revista ESPACIOS| Vol. 37 (Nº 22) Año 2016, 2016.

KLIJN, E. H.; SIERRA, V.; YSA, T.; BERMAN, E.; EDELENBOS, J.; CHEN, D. Y. The influence of trust on network performance in Taiwan, Spain, and the Netherlands: A cross-country comparison. International Public Management Journal, v.19, n.1, p.111-139, 2016

MACCIÒ, L.; CRISTOFOLI, D. How to support the endurance of long‐term networks: The pivotal role of the network manager. Public Administration, 2017.

MANDELL, M.; KEAST, R.; CHAMBERLAIN, D. Collaborative networks and the need for a new management language. Public Management Review, v. 19, n. 3, p. 326-341, 2016.

MANUEL, C.V. Análise da maturidade organizacional para implantação de gestão da qualidade na imprensa pública angolana-estudo de caso: televisão pública de Angola. Tese (Doutorado) - Fundação Getúlio Vargas, 2014.

MAPA - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. A cerveja no Brasil. Disponível em:. Acesso em mar/2019.

MOLINA-MORALES, F. Xavier et al. Formation and dissolution of inter-firm linkages in lengthy and stable networks in clusters. Journal of Business Research, v. 68, n. 7, p. 1557-1562, 2015.

O'REILLY, S.; HAINES, M.; ARFINI, F. Food SME networks: Process and governance-The case of Parma ham. Journal on Chain and Network Science, v. 3, n. 1, p. 21-32, 2003.

PAULK, M.; CURTIS, B.; CHRISSIS, M.B.; WEBER, C.V. Capability maturity model, version 1.1. IEEE Software, v.10, n.4, p.18-27, 1993.

PROVAN, K.G.; KENIS, P. Modes of network governance: Structure, management, and effectiveness. Journal of public administration research and theory, v. 18, n. 2, p. 229-252, 2008.

PORTER, M.E. Clusters and the new economics of competition. Harvard Business Review, v.76, n.6, p.77-90, 1998.

ROTH, A. L.; WEGNER, D.; ANTUNES JUNIOR, J. A.V.; PADULA, A.D. Diferenças e inter-relações dos conceitos de governança e gestão de redes horizontais de empresas: contribuições para o campo de estudos. Revista de Administração-Rausp, v.47, p.1, 2012.

SANTA CATARINA. LEI Nº 14.961, de 03 de dezembro de 2009. Dispõe sobre o incentivo à produção de cervejas e chopes artesanais. Disponível em: Acesso em: 23 nov 2018.

SEBRAE. Relatório de inteligência: Cerveja Artesanal. Santa Catarina, 2018. Disponível em: Acesso em: 23 nov 2018.

SILVIA, C. Collaborative governance concepts for successful network leadership. State and local government review, v. 43, n. 1, p. 66-71, 2011.

STRESE, Steffen et al. Organizational antecedents of cross-functional coopetition: The impact of leadership and organizational structure on cross-functional coopetition. Industrial Marketing Management, v. 53, p. 42-55, 2016.

VERSCHOORE, J.R.S. Redes de cooperação interorganizacionais: a identificação de atributos e benefícios para um modelo de gestão. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.

VERSCHOORE, J.R.S.; BALESTRIN, A. Fatores Relevantes para o Estabelecimento de Redes de Cooperaçăo entre Empresas do Rio Grande do Sul. RAC- Revista de Administração Contemporânea, v. 12, n. 4, p. 1043-1069, 2008.

VERSCHOORE, J.R.S.; BALESTRIN, A. A associação em redes de cooperação influencia os resultados de pequenas e médias empresas?. Ciências Sociais Unisinos, v. 46, n. 1, 2010.

VERSCHOORE, J.R.S.; KLANOVICZ, C.; DURAYSKI, J.; VIEIRA, L. Como a gestão das redes estratégicas regionais afeta os ganhos proporcionados às pequenas empresas associadas. Gestão & Regionalidade, v. 32, n. 94, pp. 131-146, 2016.

WEGNER, D.; PADULA, A.D. Tendências da cooperação em redes horizontais de empresas: o exemplo das redes varejistas na Alemanha. Revista de Administração, v. 45, n. 3, p. 221-237, 2010.

YIN, R.K. Case study research: Design and methods (applied social research methods). London and Singapore: Sage, 2009.




DOI: https://doi.org/10.15675/gepros.v15i3.2580

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons

Está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

e-ISSN: 1984-2430
GEPROS. Gest. prod. oper. sist., Bauru, São Paulo-SP (Brasil).

Departamento de Engenharia de Produção da Faculdade de Engenharia da UNESP - Bauru

Av. Eng. Edmundo Carrijo Coube, n° 14-01 Fone: 55-14-3103-6122