Aduana do Brasil e competitividade: uma comparação em termos de eficiência relativa

Cristiano Morini, Edgar Barassa, Matheus Pereira Garuti Maurício, Antonio Carlos Moretti, Paulo Costacurta Sá Porto

Resumo


Este artigo aborda questões relativas à competitividade internacional, com ênfase na administração aduaneira (aduana), com abordagem conceitual e aplicada. Com base nos conceitos de competitividade e administração aduaneira, o artigo apresenta o posicionamento competitivo relativo da aduana brasileira frente às aduanas mais eficientes, via metodologia do Data EnvelopmentAnalysis (DEA). Não há estudos semelhantes no Brasil sobre a área aduaneira. O software GNU Linear Programming Kit (GLPK) foi utilizado para a análise comparativa de unidades independentes. Como inputs, são considerados o posicionamento do Brasil em rankings de competitividade e o valor do produto interno bruto (PIB). Como output, o valor das importações e exportações. A análise dos resultados confirma a baixa eficiência do Brasil em termos comparativos com outras economias, considerando diferentes bases de dados. Dentre os motivos identificados para a relativa baixa posição competitiva, encontra-se a burocratização de procedimentos aduaneiros, que retira competitividade do Brasil em cadeias de suprimentos globais.

Palavras-chave: DEA. Eficiência. Administração aduaneira. Comércio Internacional.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15675/gepros.v9i3.1071

Licença Creative Commons
Revista GEPROS - Gestão da Produção, Operações e Sistemas

http://revista.feb.unesp.br/index.php/gepros está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

Locations of visitors to this page