Algodão colorido e agroecológico pode ser a solução sustentável para a futura indústria têxtil

Solimar Garcia, Denise Dupont Simões Bernini, Irenilza de Alencar Nääs, Eduardo Vicens-Salort

Resumo


Os temas agronegócio do algodão colorido e moda praticamente não possuem literatura científica publicada sobre o assunto, principalmente quando o assunto é tratado com o escopo de sustentabilidade. O algodão colorido e agroecológico, apesar da limitação em cores, pode reverter em uma produção industrial com menos impacto ambiental e utilizando menos água. O objetivo deste estudo foi apresentar a fibra colorida e o algodão orgânico, produzidos por pequenos agricultores na região Nordeste do Brasil, como produto alternativo para promover a sustentabilidade no agronegócio do algodão e na indústria têxtil, e identificar a carência de estudos científicos sobre o tema. Foram feitos levantamentos em bases disponíveis de literatura nacional e publicações internacionais sobre o tema e apresentados os resultados de pesquisas de produtos tóxicos utilizados para a produção do algodão branco e na indústria têxtil. Sugere-se que haja incentivo do governo aos agricultores que se dedicam a esta produção e que proporcione a infraestrutura para que o produto atinja o mercado global, por meio de cooperação com países mais pobres, promovendo mudanças mundiais no impacto ambiental na indústria da moda.

Palavras-chave: Agronegócios. Desenvolvimento Sustentável. Pesquisa em Agronegócios e Sustentabilidade. Sustentabilidadenaindústria da Moda.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15675/gepros.v10i1.1176

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



Licença Creative Commons

Está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

e-ISSN: 1984-2430
GEPROS. Gest. prod. oper. sist., Bauru, São Paulo-SP (Brasil).

Departamento de Engenharia de Produção da Faculdade de Engenharia da UNESP - Bauru

Av. Eng. Edmundo Carrijo Coube, n° 14-01 Fone: 55-14-3103-6122