A lógica Fuzzy e a análise de alternativas de investimento

Reinaldo Pacheco da Costa, André Ambrosio Abramczuk, Luiz Carlos Martinez Junior

Resumo


O raciocínio humano trabalha com avaliações de caráter qualitativo, como bom e ruim, alto e baixo, etc. Desta
forma, quando o analista interpreta uma combinação de critérios relevantes à análise de investimentos, ele
busca também, considerar estes valores qualitativos, calcados geralmente, em seus padrões pessoais e subjetivos.
Mas como fazer um modelo quantitativo que possa emular o raciocínio humano e interpretar os termos qualitativos
na análise de investimentos? Este é o objetivo do presente artigo, que apresenta os principais conceitos
da lógica fuzzy e uma aplicação desta na análise de alternativas de investimento, para a melhoria econômica
de uma indústria metalúrgica brasileira. Incorporando atributos qualitativos, como “taxa de retorno baixa,
média, alta, muito alta”, “pouca, média, muita melhoria na utilização da capacidade da fábrica”. O estudo de
caso mostra como considerar a utilização da subjetividade humana na seleção de alternativas, de investimento.
Apresenta-se, finalmente, um protótipo do software MERHU – Módulo de Emulação do Raciocínio Humano,
destinado a sistematizar os procedimentos de seleção de alternativas a partir da lógica fuzzy.

Palavras-chave: Lógica fuzzy; engenharia econômica; análise de investimentos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15675/gepros.v0i2.155

Licença Creative Commons
Revista GEPROS - Gestão da Produção, Operações e Sistemas

http://revista.feb.unesp.br/index.php/gepros está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

Locations of visitors to this page