Determinantes da propensão a inovar: evidências para Argentina, Brasil e Chile

Thiago Henrique Sousa Caldas, Luciana Carvalho, Márcio Lopes Pimenta

Resumo


O objetivo deste trabalho é identificar os determinantes da propensão a inovar para empresas da Argentina, Brasil e Chile. Ademais, identificar as semelhanças e diferenças do comportamento inovativo entre os países. Para a realização da análise empírica, utilizou-se da base de dados do Banco Mundial - Enterprises Surveys nos anos 2000. Foram estimados os modelos Probit para inovação de produto, inovação de processo e inovação em geral. Os resultados revelam que não existe um padrão para propensão a inovar entre Argentina, Brasil e Chile. A variável cooperação destacou-se, pois apresentou coeficiente positivo e significativo para todas as estimações.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15675/gepros.v12i4.1815

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons

Está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

e-ISSN: 1984-2430
GEPROS. Gest. prod. oper. sist., Bauru, São Paulo-SP (Brasil).

Departamento de Engenharia de Produção da Faculdade de Engenharia da UNESP - Bauru

Av. Eng. Edmundo Carrijo Coube, n° 14-01 Fone: 55-14-3103-6122