Adoção de Blockchain e Digitalização do Bill of Lading na Cadeia de Importação de Contêineres

Luis Rigato Vasconcellos, Felipe Steiner de Oliveira

Resumo


Há uma significativa mudança na gestão de supply chain através da tecnologia blockchain que pode implicar uma maior transparência e segurança entre os participantes da cadeia de suprimentos. Por outro lado, segmentos como a logística internacional ainda utilizam grande quantidade de documentos físicos e geram um enorme volume de informações oriundas de diferentes elos da cadeia. Um dos documentos físicos mais importantes desse segmento é o Bill of Lading (BL), estando sujeito a fraudes e extravios. Este artigo objetiva propiciar uma melhor compreensão de como a adoção da tecnologia de blockchain pelo transporte marítimo internacional de contêineres pode contribuir para o fluxo documental do BL e alterar as questões de rastreabilidade, segurança e governança da cadeia. A metodologia adotada é qualitativa, utilizando-se um estudo de caso de uma empresa pioneira em seu segmento que pretende digitalizar e integrar a cadeia logística internacional com base na utilização de blockchain. Os dados foram coletados por entrevistas em profundidade e análise de documentação. Os resultados foram avaliados considerando duas proposições teóricas e permitiram concluir que a adoção de uma plataforma digital estruturada com blockchain pode, de fato, aumentar a eficiência e a confiança entre os envolvidos, aumentar a segurança e diminuir fraudes por meio da digitalização de documentos, aumentar a transparência por meio de rastreabilidade em tempo real e favorecer a colaboração entre os participantes. Por outro lado, ainda é uma tecnologia em amadurecimento, requer a participação massiva dos participantes da cadeia para integração de informações e pode enfrentar barreiras regulatórias.


Palavras-chave


cadeia logística internacional; bill of lading; digitalização; blockchain; segurança; rastreabilidade; eficiência; confiança

Texto completo:

PDF

Referências


BADZAR, A. Blockchain for securing sustainable transport contracts and supply chain transparency - An explorative study of blockchain technology in logistics. Department of Service Management and Service Studies, Lund University. May 2016.

BAILIS, P; SONG, H. Research for Practice: Cryptocurrencies, Blockchains, and Smart Contracts; Hardware for Deep Learning. Communications of the ACM. 60, 5, 48-51, May 2017. ISSN: 00010782.

BRANDON, D. The Blockchain: the future of business information systems?. International Journal of the Academic Business World. 10, 2, 33-40, 2016. ISSN: 19426089.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011, 229 p.]

BRASIL. Artigo 553 Da Instrução da Declaração de Importação. Regulamento Aduaneiro. Disponível em: . Acesso em 18 de junho de 2018.

BRASIL. Lei 10833, artigo 70 e 71. Disponível em: . Acesso em 23 de agosto de 2018.

CMA CGM. Extravio ou perda de BL. Disponível em: . Acesso em 25 de julho de 2018.

DA SILVA, MC; et al. Metodologia científica para as ciências sociais aplicadas: análises críticas sobre métodos e tipologias de pesquisas e destaque de contribuições de Marx, Weber e Durkheim. Revista Científica Hermes. /13, 159-179, Jan. 2015. ISSN: 21750556.

DAVIS, J. The crypto-currency. The New Yoker. Disponível em: . Acesso em 18 de julho de 2018.

DE RIDDER, CA; TUNSTALL, MK; PRESCOTT, N. Recognition of Smart Contracts in the United States. Intellectual Property & Technology Law Journal. 29, 11, 17-19, Nov. 2017. ISSN: 15343618.

DI GREGORIO, R; NUSTAD, S. Blockchain Adoption in the Shipping Industry: A study of adoption likelihood and scenario-based opportunities and risks for IT service providers. Master Thesis in International Business. Nov. 2017.

DINH, T. T. A. et al. Untangling Blockchain: A Data Processing View of Blockchain Systems. IEEE Transactions on Knowledge & Data Engineering, jul. 2018. v. 30, n. 7, p. 1366–1385. Disponível em: . Acesso em 5 de novembro de 2018.

EYAL, I; GÜN SIRER, E. Majority Is Not Enough: Bitcoin Mining Is Vulnerable. Communications of the ACM. 61, 7, 95-102, July 2018. ISSN: 00010782.

FIGUEIREDO, L. Porto receberá maior navio em capacidade de cargas de sua história. Atribuna, 2017. Disponível em: . Acesso em 17 de julho de 2018.

GODOY, A. S.. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de administração de empresas, v. 35, n. 2, p. 57-63, 1995.

GRAHAM, G; et al. The transformation of the music industry supply chain. International Journal of Operations & Production Management. 24, 11, 1087-1103, Nov. 2004. ISSN: 01443577.

HAPAG LLOYD. Bill of Lading Terms and Conditions. Disponível em: < https://www.hapag-lloyd.com/content/dam/website/downloads/pdf/Hapag-Lloyd_Bill_of_Lading_Terms_and_Conditions.pdf>. Acesso em 25 de julho de 2018.

HOFMANN, E; RÜSCH, M. Industry 4.0 and the current status as well as future prospects on logistics. Computers in Industry. 89, 23-34, Aug. 2017. ISSN: 01663615.

IBM. Digitizing Global Trade with Maersk and IBM. Disponível em: . Acesso em 18 de junho de 2018.

KOCSI, B; OLÁH, J. Potential Connections of Unique Manufacturing and Industry 4.0. LogForum. 13, 4, 389-400, Oct. 2017. ISSN: 18952038.

KOSIK, B. Data centers used for bitcoin mining: Data centers used for bitcoin mining have significant differences from their commercial data center counterparts. Consulting-Specifying Engineer. 55, 5, 20-27, June 2018. ISSN: 08925046.

KSHETRI, N. Blockchain’s roles in meeting key supply chain management objectives. International Journal of Information Management. 39, 80-89, Apr. 2018. ISSN: 02684012.

LI, S; SUN, W. A mechanism for resource pricing and fairness in peer-to-peer networks. Electronic Commerce Research. 16, 4, 425-451, Dec. 2016. ISSN: 13895753.

MAERSK. Maersk and IBM to form joint venture applying blockchain to improve global trade and digitise supply chains. Disponível em: . Acesso em 25 de junho de 2018.

MARTÍ, L; PUERTAS, R; GARCÍA, L. The importance of the Logistics Performance Index in international trade. Applied Economics. 46, 24, 2982-2992, Aug. 20, 2014. ISSN: 00036846.

MIGUEL, P.A.C. Estudo de caso na engenharia de produção: estruturação e recomendações para sua condução. Prod., São Paulo , v. 17, n. 1, p. 216-229, Abr. 2007. Disponível em: . Acesso em 13 de setembro de 2018.

NAKAMOTO, S. Bitcoin: A peer-to-Peer Electronic Cash System. Disponível em: . Acesso em 28 de abril de 2018.

PRADO, N. Estudo sobre a aplicação de blockchains em certificação digital. Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Outubro, 2017.

RAUPP, F. M.; BEUREN, I. M.. Metodologia da Pesquisa Aplicável às Ciências. Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. São Paulo: Atlas, 2006.

RECEITA FEDERAL. Conhecimento de Carga – Introdução. Disponível em: http://idg.receita.fazenda.gov.br/orientacao/aduaneira/manuais/despacho-de-importacao/topicos-1/despacho-de-importacao/documentos-instrutivos-do-despacho/conhecimento-de-carga/introducao. Acesso em 18 de junho de 2018.

SIBA, TK; PRAKASH, A. Block-Chain: An Evolving Technology. Global Journal of Enterprise Information System. 8, 4, 29-35, Oct. 2016. ISSN: 0975153X.

VOSS, C., TSIKRIKTSIS, N., FROHLICH, M. Case research in operations management. International Journal of Operations & Production Management, Vol. 22, n° 2, pp-195-219, 2002.

WILD, J., ARNOLD, M., STAFFORD, P. Technology: Banks seek the key to blockchain. Financial Times, 2015. Disponível em: . Acesso em 28 de junho de 2018.

WOODSIDE, JM; AUGUSTINE JR., FK; GIBERSON, W. Blockchain technology adoption status and strategies. Journal of International Technology & Information Management. 26, 2, 65-93, Apr. 2017. ISSN: 15435962.

WORKIE, H; JAIN, K. Distributed ledger technology: Implications of blockchain for the securities industry. Journal of Securities Operations & Custody. 9, 4, 347-355, 2017. ISSN: 17531802.

YANG, J.; LU, Z.; WU, J. Smart-toy-edge-computing-oriented data exchange based on blockchain. Journal of Systems Architecture, jun. 2018. v. 87, p. 36–48. Disponível em: . Acesso em: 24 de outubro de 2018

YIN, R. Estudo de Caso: Planejamento e Métodos - 5ª edição. Porto Alegre: Ed. Bookman, 2015.




DOI: https://doi.org/10.15675/gepros.v14i5.2548

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons

Está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

e-ISSN: 1984-2430
GEPROS. Gest. prod. oper. sist., Bauru, São Paulo-SP (Brasil).

Departamento de Engenharia de Produção da Faculdade de Engenharia da UNESP - Bauru

Av. Eng. Edmundo Carrijo Coube, n° 14-01 Fone: 55-14-3103-6122