Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE): Diferença das Rentabilidades entre Grupos Formadores e Não Formadores

Nauro Thomaz Junior, Marcos Antônio Rodrigues Santos

Resumo


O principal objetivo deste artigo é apresentar a diferença das rentabilidades, pelo sistema Dupont, entre os grupos formadores e não formadores do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE), considerando as rentabilidades do ativo e do proprietário. Para tanto, acompanhou-se a evolução das métricas financeiras dos segmentos participantes do ISE, no período entre 2005 e 2014, passíveis de submissão a testes paramétricos e não paramétricos, no seu universo total e no universo das grandes corporações. Foram analisadas as empresas listadas na BM&FBOVESPA, dos segmentos de energia elétrica, bancos, papel e celulose e carnes. Os resultados, em grande parte, não apresentaram diferenciação de rentabilidade significativa entre os referidos grupos decorrente de aumento da rentabilidade do ativo, sendo as exceções relacionadas ao aumento da alavancagem. Em conclusão, evidenciou-se a necessidade de outros estudos referentes aos retornos de investimentos sustentáveis ligados ao valor econômico agregado às empresas participantes do ISE e à identificação dos riscos de perda de valor pelas organizações não participantes.


Palavras-chave


Índice de Sustentabilidade Empresarial; alavancagem, rentabilidade, Sistema Dupont

Texto completo:

PDF

Referências


ALBAGLI, S. MCT Centro Estudos Estratégicos – Parcerias Estratégicas –Amazônia Fronteira Geopolítica da Biodiversidade. 2001.Disponível em: . Acesso em: 20 jun. 2018.

CATAPAN, A. Análise da relação entre a governança corporativa e o desempenho econômico-financeiro de empresas de capital aberto do brasil. UFPR. 2014. Disponível em: . Acesso em: 19 jun. 2015.

CAVALCANTE, L.R.M.T, BRUNI, A.L.; COSTA, F. J. M. Sustentabilidade Empresarial e Valor da Empresa (ANPAD-2008).

FAVARO, L.C; ROVER, S. ISE: Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE): A Associação entre os Indicadores Econômico-financeiros e as Empresas que Compõem a Carteira. 5º Congresso UFSC– Controladoria e Finanças (Maio/2014).

GITMAN, Lawrence J. Princípios de Administração Financeira. 7ª ed. São Paulo: Ed. Harbra, 1997.

LEMME, C. F. Sustentabilidade e Finanças, em Textos em sustentabilidade empresarial: integrando lãs consideracionessociales ambientais y econômicas. compilador: Gardetti, M.Á. Buenos Aires: La-Bell, 2005.

MARCONDES, W. A; BACARJI, D. C. ISE sustentabilidade no mercado de capitais. 1ª Edição. Report Editora (Bovespa), 2010.

MORIMOTO, R; ASH, J.; HOPE, C. Corporate Social Responsibility Audit: FromTheoryto.

NUNES, Tânia Cristina Silva; NOVA, Silvia P. C. C.; CORNACHIONE JR, Edgar Bruno. As empresas sustentáveis são mais rentáveis? E o seu risco é diferente das demais? XIV SEMEAD, Out 2011.

OUR COMMON FUTURE. Relatório ONU A/43/427. 04 ago 87. Disponível em: . Acesso em: 14 maio 2018.

PORTER, Michel. Uma Nova Equação. In: Guia Sustentabilidade. Revista Exame. Ed. nov. 2013, p. 30 a 42. Disponível em: . Acesso em: 09 abr. 2018.

SACHS, Ignacy. Estratégias de transição para o século XXI: desenvolvimento e meio ambiente. São Paulo: Nobel, 1993.

SILVA, L. S. A; QUELHAS O.L.G. Sustentabilidade empresarial e impacto no custo de capital próprio nas empresas de capital aberto. Niterói: UFF, 2006. Disponível em: . Acesso em: 09 jun. 2018.

SILVA, N. P. J; ASSIS, A. A. F. Anais do VIII Congresso Mundial de Administração. Rio de Janeiro, 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 maio 2018.

SIMONETI, R. FGV – Gvces. Disponível em: . Acesso em: 09 jun. 2018.

SOUZA, F. A.; ALBUQUERQUE; L. S.; RÊGO, T. F; RODRIGUES, M. A. Responsabilidade Social Empresarial: Uma Análise sobre a Correlação entre a Variação do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) e o Lucro das Empresas Socialmente Responsáveis que compõem esse Índice. Disponível em:

http://150.165.111.246/revistaadmin/index.php/uacc/article/view/15/13. Acesso em 12 jun. 18

STERN, Nicholas. STERN REVIEW: The Economics of Climate Change, 2006. Disponível em: http://mudancasclimaticas.cptec.inpe.br/~rmclima/pdfs/destaques/sternreview_report_complete.pdf. Acesso em: 20 maio. 2018.

TENÓRIO, Fernando Guilherme; NASCIMENTO, Fabiano; PUCCIDO, Christian. Fundação Getúlio Vargas. Responsabilidade social empresarial: teoria e prática. 2. ed. Rio de Janeiro: Ed. da FGV,2007

THOMAZ JUNIOR, Nauro. Reflexo da participação no ISE sobre a rentabilidade do ativo e do patrimônio líquido das empresas negociadas na BM&FBOLVESPA: uso do Sistema DuPont. 189 f. Dissertação de Mestrado. UCAM. Rio de Janeiro, 2015.




DOI: https://doi.org/10.15675/gepros.v14i3.2618

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista GEPROS

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

Está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

e-ISSN: 1984-2430
GEPROS. Gest. prod. oper. sist., Bauru, São Paulo-SP (Brasil).

Departamento de Engenharia de Produção da Faculdade de Engenharia da UNESP - Bauru

Av. Eng. Edmundo Carrijo Coube, n° 14-01 Fone: 55-14-3103-6122