Análise Quantitativa de Risco de uma unidade de recuperação de enxofre em uma refinaria de petróleo

Heitor de Oliveira Duarte, Enrique Andrés López Droguett

Resumo


Vários segmentos de indústria, especialmente a do petróleo, lidam com grandes quantidades de substâncias altamente perigosas, de modo que vazamentos acidentais podem causar graves danos à sociedade e meio-ambiente, bem como ameaçar o cumprimento das metas futuras da empresa responsável. Observa-se nestas empresas dificuldade de decisão quanto à aceitabilidade do risco e o quanto investir em medidas para a sua redução. Neste sentido, a Análise Quantitativa de Riscos (AQR) permite quantificar, preventivamente, o risco de eventos como explosão, incêndio, dispersão de nuvem tóxica, entre outros. Assim, o gestor terá informação relevante e objetiva para tomada de decisão quanto ao gerenciamento dos riscos. Este trabalho apresenta um método para AQR e faz um estudo de caso, aplicando o método em uma típica Unidade de Recuperação de Enxofre (URE), considerando dados (e.g., de processo, localização, meteorologia, arranjo físico) do projeto da Refinaria Abreu e Lima (RNEST). Estes dados constam no EIA/RIMA da refinaria. A URE foi projetada para operar com elevadas concentrações de uma substância altamente tóxica: o H2S. Os riscos foram calculados e os resultados mostram que eles são negligenciáveis, de modo que não há necessidade de reavaliar o projeto desta URE na RNEST.

Palavras-chave: Risco; Análise de Risco; Análise Quantitativa de Risco; Refino de Petróleo; Unidade de Recuperação de Enxofre.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15675/gepros.v0i2.756

Licença Creative Commons
Revista GEPROS - Gestão da Produção, Operações e Sistemas

http://revista.feb.unesp.br/index.php/gepros está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

Locations of visitors to this page